Tratamento para diabetes pode manter demência e Alzheimer afastados

Pacientes em uso de medicamentos para diabetes tipo 2 podem manter a doença de
Alzheimer afastada.
Os psicólogos da USC Dornsife descobriram que os pacientes com diabetes não tratado
desenvolveram sinais da doença de Alzheimer 1,6 vezes mais rápido do que as pessoas
que não tinham diabetes.
O estudo foi publicado em 4 de março na revista Diabetes Care .
“Nossas descobertas enfatizam a importância de pegar diabetes ou outras doenças
metabólicas em adultos o mais cedo possível”, diz Daniel A. Nation , psicólogo da
Faculdade de Letras, Artes e Ciências da USC Dornsife. “Entre as pessoas com diabetes,
a diferença na taxa de desenvolvimento dos sinais de demência e Alzheimer está
claramente ligada de alguma forma ao fato de estarem ou não tomando remédios”.
Nation diz que este estudo pode ser o primeiro a comparar a taxa de desenvolvimento da
patologia para a doença de Alzheimer e demência entre pessoas com níveis normais de
glicose, com pré-diabetes ou pessoas com diabetes tipo 2 – tratadas e não tratadas.
Para o estudo, os cientistas compararam a “patologia da tau” – a progressão dos
emaranhados cerebrais que são a marca registrada da doença de Alzheimer. Quando os
emaranhados combinam-se com placas adesivas beta-amilóides.

Allcross clinipam curitiba vendas